IAV-IDV projeta continuidade da recuperação das vendas no varejo                    







O segmento de bens não duráveis, que responde em sua maior parte pelas vendas de super e hipermercados, foodservice, drogarias e perfumarias, apresentou estabilidade real de 0,01% nas vendas realizadas em junho, na comparação anual. Já as projeções para os próximos meses sinalizam crescimento real de 4,7% em julho, 5,5% em agosto e 4,7% em setembro.

O setor de semiduráveis, que inclui vestuário, calçados, livrarias e artigos esportivos, apresentou, em junho, crescimento real de 0,9% na comparação anual. A expectativa para os próximos meses é positiva, com projeções de crescimento de 4,4% em julho, 5,0% em agosto e 5,8% em setembro, sempre em relação aos mesmos períodos do ano anterior.

O setor de bens duráveis teve, em junho, aumento real de 11,8%, em relação ao mesmo mês do ano anterior. A projeção dos associados para os próximos meses é de continuidade de crescimento, sendo 14,1% em julho, 12,2% em agosto e 12,8% em setembro.

A inflação acumulada dos segmentos em 12 meses, em junho de 2017, segundo o IBGE, foi de 0,47% para a categoria de bens não duráveis e de 2,42% para a de semiduráveis. Já para os duráveis houve deflação de 1,20%.

Ricardo Carvalho - ricardo@fonte.com.br - (16) 98132-2122

Paulo Viarti - paulo@fonte.com.br




Publicidades






 
                                                           
|
|
|
|
|